segunda-feira, 10 de maio de 2010

ATIVIDADES COM NÚMEROS QUE OS ALUNOS JÁ CONHECEM


A seguir, algumas atividades que levam os alunos a refletir sobre os números que já conhecem, dando-lhes oportunidade de demonstrar seus conhecimentos numéricos em determinados contextos – preços de produtos, datas, números das casas onde vivem – e permitindo que discutam a escrita dos números e comparem as notações que produzirem. Certamente os conhecimentos das crianças variam muito, mas é importante que as situações didáticas provoquem reflexão, mesmo para os que não conhecem a escrita convencional dos números. Em sala de aula, são constantes as dúvidas acerca da ordenação da numeração falada, do uso do zero, da quantidade de algarismos de um número e do valor de cada um deles em relação à posição que ocupa. Por isso, é preciso incentivar a interpretação e a comparação da escrita de números e também a leitura das notações produzidas por meio de perguntas que estimulem os alunos a avançar em suas hipóteses de escrita numérica.


ATIVIDADE : OS NÚMEROS QUE CONHEÇO

Objetivos
* Ler números em diferentes portadores de texto matemáticos, utilizando os conhecimentos disponíveis sobre o sistema de numeração decimal.
* Ler os números utilizando os conhecimentos disponíveis sobre o sistema de
numeração e as fontes de informação existentes na classe.

* Perceber que os números têm um uso social e estão presentes em vários portadores, com diferentes propósitos.


Planejamento
* Quando realizar? Ao longo do semestre.
* Como organizar os alunos? Em duplas.
* Quais os materiais necessários? Recortes de jornais e revistas com textos que utilizem a linguagem matemática; folhas de papel sulfite, canetas marcatexto ou lápis.
* Qual é a duração? Cerca de 30 minutos.

Encaminhamento
Organize a classe em duplas e distribua entre elas os recortes de jornais e revistas. Cada dupla deve encontrar dez números que já sabe ler, marcá-los e escrevê-los no papel.
Peça que um aluno de cada dupla leia os números que foram escolhidos e faça um ditado deles para outra dupla.
A seguir, proponha que troquem informações e comparem a escrita produzida com as que foram selecionadas.
O que mais fazer?
Alguns alunos podem ter dificuldade para ler e escrever os números ditados pelo colega. Nesse caso, oriente-os sugerindo pistas baseadas nos números exibidos nos portadores de texto numéricos que há na classe, como: o quadro de números, o calendário do mês, a régua, as páginas dos livros, a fita métrica, o relógio e outros.
Para complementar, você pode registrar na lousa alguns dos números selecionados e solicitar a vários alunos que façam a leitura deles.
Lembre-se de providenciar sistematicamente outras atividades similares a
esta ao longo do semestre.


ATIVIDADE : QUADRO DE NÚMEROS


Objetivo
* Buscar regularidades no sistema de numeração decimal a partir da análise da posição no quadro numérico.

Planejamento
* Quando realizar? Ao longo do semestre.
* Como organizar os alunos? Em duplas.
* Quais os materiais necessários? Cópias do quadro de números para todos os alunos.
* Qual é a duração? Cerca de 30 minutos.


Atenção!


A organização visual do quadro numérico é muito importante, pois a disposição gráfica dos números é a principal referência para o aluno encontrar o número ditado. Cada linha deve ter dez números.


Encaminhamento
Escolha previamente os dez números a serem ditados.
Distribua cópias do quadro de números aos alunos e peça que colem no caderno.
Explique que deverão encontrar no quadro os números ditados por você.
Dê um tempo para que discutam com o parceiro e procurem o número ditado, até todas as duplas terem conseguido localizá-lo. Enquanto isso, circule pela classe e observe como estão trabalhando.
Socialize as diferentes respostas, incentivando cada dupla a explicar e justificar como encontrou o número solicitado.
O que mais fazer?
Inicie o trabalho com o quadro de 1 a 100 reproduzido aqui e, à medida que os alunos forem avançando na interpretação e na produção de números, passelhes um quadro com outro intervalo (por exemplo, de 500 a 600), para que percebam bem as regularidades existentes nas regras de formação dos
números.


ATIVIDADE: OS NÚMEROS DE NOSSAS CASAS


Objetivos
* Ler e escrever os números utilizando os conhecimentos que possuem sobre o sistema de numeração e as fontes de informação disponíveis na sala de aula.
* Perceber que os números têm um uso social, estão presentes no cotidiano e se prestam a diferentes propósitos e funções.

Planejamento
* Quando realizar? Ao longo do semestre.
* Como organizar os alunos? O início da atividade é individual; depois, os alunos trabalham em duplas.
* Quais os materiais necessários? Cópias dos modelos da atividade.
* Qual é a duração? Cerca de 30 minutos.


Encaminhamento
Distribua o primeiro modelo para os alunos levarem para casa e anotarem o número da casa em que moram. Se preferir, escreva na lousa o enunciado da tarefa e peça que as crianças copiem em seus cadernos.
Na aula seguinte, distribua o outro modelo e chame quatro alunos para ditarem os números de suas casas. Em duplas, os colegas devem escrever em suas folhas os números ditados, representando-os numericamente e por extenso.
As duplas discutem entre si e decidem como escrever cada número ditado, por extenso e em algarismos.
Quando terminarem, discuta o trabalho com a classe, fazendo um levantamento das dificuldades encontradas para realizar os registros.



As hipóteses das crianças


Preste atenção aos argumentos utilizados pelas crianças para justificar suas escritas. Pesquisas revelam que elas não aprendem os números seguindo a ordem da série, ou seja, de um em um, estabelecendo relações de vários tipos para identificar os números e produzir suas escritas. Por exemplo:
* Conhecem os números redondos e suas seqüências – 10, 20, 30, 40 etc.; 100, 200, 300, 400, 500 etc.; 1.000, 2.000, 3.000, 4.000 etc. –, mas não sabem os números que estão nos intervalos.
* Estabelecem relações entre os números redondos e a numeração falada: 201 (para 21), 51000 (para 5.000), 403 (para 43), pois sabem que algo permanece e algo muda, mas não sabem o quê.
* Relacionam o “nome do número” com a forma de escrevê-lo. Por exemplo: se o nome de um número é quarenta e seis e o do outro é quarenta e três, a escrita desses dois números deve começar com 4, pois falamos quarenta, que se parece com o quatro. Se fosse cinqüenta, escreveriam o 5. (Observe que o número vinte é uma irregularidade, pois seu nome não estabelece relação com o número 2.)
É no confronto dessas diferentes hipóteses que os alunos poderão construir os conceitos de dezena, centena e milhar, entre outros.


O que mais fazer?
Planeje desdobramentos desta atividade, como:
* Uma lista com os números das casas de todos os alunos; destacar alguns dos números para que sejam organizados de forma crescente.
* Proponha que façam a organização em ordem decrescente.
* Em outra aula, usando a mesma lista, peça-lhes que separem os números pares.



ATIVIDADE: DITADO MALUCO


Objetivos
* Escrever os números utilizando os conhecimentos que possuem sobre o sistema de numeração.
* Trocar informações com os colegas e buscar referências em fontes existentes na classe para escrever os números ditados.


Planejamento
* Quando realizar? Ao longo do semestre.
* Como organizar os alunos? Escrita individual e em seguida uma discussão com o grupo.
* Qual é a duração? Cerca de 30 minutos.


Encaminhamento
Converse com a classe explicando o jeito diferente que você vai usar para fazer um ditado de números. A cada número que você falar, os alunos devem escrever o antecessor, ou seja, o número que vem imediatamente antes dele.
Por exemplo: se você disser 107, eles devem escrever 106.
Podem surgir dúvidas na escrita de números com zeros (como é o caso de 106, que talvez gere escritas como 16, 016, 160 ou 1006). Aproveite o momento da revisão para discutir diferentes produções. Incentive a interpretação e a comparação das respostas dadas por vários colegas, fazendo perguntas que estimulem os alunos a avançar em suas hipóteses de escrita numérica:
* Qual a diferença entre esses números? Como devem ser lidos?
* Qual é o maior deles? Qual é o menor?
* Como vocês sabem qual é o maior?
* Um mesmo número pode ser escrito de diferentes maneiras?
O que mais fazer?
Procure repetir esta atividade diversas vezes ao longo do semestre, pois os alunos costumam ter muitas dúvidas sobre a escrita de números, principalmente quando há zeros intercalados. Você pode propor variações, como pedir que escrevam o sucessor do número ditado, ou seja, o que vem
logo depois dele, na seqüência.

* fonte: Guia de Planejamento e Orientações Didáticas - 2ª série (3º ano) - SEESP

Um comentário:

turma de direito Uninassau disse...

gente simplesmente maravilhoso