sábado, 21 de março de 2009

COMUNICAÇÃO ORAL


CONTEÚDOS ENVOLVIDOS NAS PRÁTICAS DE COMUNICAÇÃO ORAL




• Utilizar o léxico adequado ao tema, à audiência, à situação de comunicação;
• posicionar-se frente a uma notícia, uma opinião, um argumento, um texto, um filme;
• planejar previamente a fala em situações formais, partindo de suposições acerca dos conhecimentos prévios da audiência;
• apoiar-se, em maior ou menor medida, nos textos-fonte no desenvolvimento
• de algumas situações (reconto, declamação, seminário);
• posicionar-se como falante responsável, eficaz e crítico numa exposição oral,
• num debate, numa entrevista (aprimorando sua argumentação a partir da criação de novas relações sobre o tema, postergando sua resposta até que o outro termine sua intervenção) estando aberto a reformulações em função das ‘reações’ do interlocutor;
• incluir a audiência nas situações de comunicação oral conforme o grau e o tipo de interlocução nelas requeridas;
• realizar cortes, interrupções, retomadas, sobreposições como parte do processo de organização dos textos falados, em função dos diferentes graus de interlocução das diversas situações comunicativas (seminário, entrevista, debate etc.);
• narrar textos lidos;
• organizar a narração num eixo cronológico ou decidir alterá-lo para produzir
• determinado efeito no leitor;
• escutar o outro tentando compreender o que quer dizer além do que diz textualmente;
• posicionar-se como ouvinte: elaborar respostas, fazer perguntas para receber
• informações complementares ou para entender melhor o que está sendo dito,
• elaborar argumentos que possam agregar-se para fundamentar melhor a posição que expõe etc.


Situações Formais de Comunicação Oral
(reconto, declamação, seminário, debate, entrevista)



Condições Didáticas consideradas ao planejar:


• Propor a realização de diversas situações de exposição oral que requeiram preparação prévia, que permitam a articulação de conteúdos da língua oral e escrita (escrever o roteiro da fala, falar a partir do roteiro, declamar poesias, relatar os resultados de uma entrevista).
• Favorecer a participação dos alunos em situações de narração de histórias (para os alunos e por eles mesmos), considerando-as no planejamento dos projetos e/ou seqüências de atividades com textos literários.
• Favorecer a participação dos alunos em situações variadas de comunicação: com um ou mais interlocutores, com pares ou com adultos, em duplas, em pequenos grupos ou com toda a classe, nas quais possam desempenhar diferentes papéis e desenvolver diferentes estratégias.
• Propor situações em que todos os alunos estejam e sintam-se autorizados a expressar suas idéias, ainda que estas sejam diferentes das do professor ou de muitos de seus colegas.
• Propor situações que envolvam o planejamento e realização de pesquisas e requeiram a definição de temas, a tomada de decisões sobre encaminhamentos, a divisão de tarefas e apresentação de resultados, nas quais os alunos possam contar com a colaboração dos colegas.
• Valorizar pessoas da comunidade como importantes fontes de informação, incluindo-as nas diversas entrevistas realizadas pelos alunos no planejamento de situações de pesquisa.
• Considerar o gênero do oral, o grau de formalidade, a intenção comunicativa e os diferentes tipos de apoio nos textos-fonte (falar em seminário com apoio de cartazes e slides, falar numa entrevista com apoio de um roteiro de perguntas etc).
Intervenções do professor:
• Compartilhar com os alunos o contexto comunicativo (para quê, quem, o que e
• como) no planejamento de tarefas realizadas pelos alunos.
• Ajudar os alunos a terem bom desempenho nas atividades de comunicação oral (expressão oral, entonação da voz, postura).
• Favorecer a utilização de referências dadas: pelo texto fonte, pelos colegas, por uma produção oral anterior de algum colega da classe.
• Ajudar os alunos que participam como ouvintes a compreender perguntas, afirmações ou informações dadas, reformulando-as, promovendo a interação grupal perguntando se todos tiveram tempo para refletir sobre o que foi dito etc.
• Favorecer a participação ativa dos alunos em situações de análise e reflexão sobre produções orais realizadas pela classe (podendo fazer uso de gravador).
• Contribuir com a socialização de estratégias de utilização de recursos próprios do oral em função dos propósitos e do contexto comunicativo (pausas, interrupções, retomadas, gestos, expressões).
• Incentivar todos os alunos a tomarem a palavra, colocando limites na participação de cada um para tornar possível a participação de todos, evitando que apenas alguns monopolizem o uso da palavra enquanto outros permanecem em silêncio, fazendo com que alguns aprendam a escutar e tomar a palavra.





Interação Aluno / Situação Didática:

Nas situações formais de comunicação oral os alunos podem:
• Utilizar seus conhecimentos prévios (sobre o assunto, sobre o gênero, sobre o contexto da situação comunicativa, sobre o interlocutor) para adequar o registro lingüístico às diferentes situações comunicativas.
• Recorrer a apoios escritos para planejar e orientar a própria fala.
• Utilizar diferentes recursos de persuasão em situações de argumentação.
• Adequar o discurso ao auditório, antecipar perguntas, sentir-se com o direito de
• escutar e de ter voz.
• Utilizar seus conhecimentos acerca das regras do intercâmbio comunicativo que se colocam em jogo durante a participação em situações significativas a partir de experiências nas quais já tenham participado ou que já tenham observado.
• Utilizar léxico especializado, próprio aos distintos conteúdos, durante a realização de situações de exposição oral.


FONTE: Guia de estudo para o horário de trabalho coletivo - CENP

Um comentário:

Danny disse...

Sou estudante de Pedagogia, adoro o blog, consulto sempre que preciso, para trabalhos e agora para o meu TCC. Foi muito útil está página referente a comunicação oral!